fev 2020

Notícias 

Carne de porco inflaciona setor alimentar e importações chinesas a Portugal

O preço da carne de porco, principal fonte de proteína animal na cozinha chinesa, quase duplicou, e puxou a inflação em todo o setor alimentar, agravando os efeitos da desaceleração da economia chinesa e de uma prolongada guerra comercial com os Estados Unidos.

Apesar do aumento das importações e da colocação no mercado pelas autoridades, de dezenas de milhares de toneladas de carne suína que mantêm em reserva, em dezembro, o preço da carne de porco subiu 97% em relação ao mesmo mês do ano transato. Os preços dos alimentos subiram, no conjunto, 17,4%, fixando a inflação em 4,5%, nível mais alto em sete anos e acima da meta oficial de 3% definida pelo Partido Comunista Chinês.

A China produz e consome dois terços da carne suína do mundo, mas o país teve que abater milhões de porcos, após um surto de peste suína que se espalhou por todo o continente chinês, gerando também efeitos inflacionários no resto do mundo, à medida que os importadores chineses compram mais nos EUA, Brasil ou Europa, incluindo Portugal.

No final de janeiro de 2019, os produtores nacionais começaram a exportar carne de porco para a China, um negócio que movimenta cerca de 100 M€, valor que se espera que duplique já este ano. Na passada quinta-feira, 9 de janeiro, o Ministério da Agricultura anunciou que mais cinco empresas nacionais já podem exportar carne de porco para a China, os quais se juntam aos quatro operadores que já haviam recebido luz verde.

https://hojemacau.com.mo/2020/01/10/economia-carne-de-porco-mantem-inflacao-no-nivel-mais-alto-em-sete-anos/